sábado, 15 de agosto de 2009

CUIDE DO SEU DINHEIRO

É muito importante administrar seu dinheiro da melhor maneira possível. Se você não encontra tempo, está sendo displicente e seus objetivos ficam mais difíceis de serem alcançados.
Sugestões para administrar bem o seu dinheiro:
Tenha um plano. Faça uma lista com suas dívidas a pagar e objetivos que almeja alcançar (como compra do apartamento, troca de carro, férias etc.) em ordem de prioridade, e o que deve fazer para pagar por eles. Assim, você irá focar seus pensamentos.
Prepare um calendário com suas tarefas e mantenha-as em dia. Não se deixe desviar.
Desenvolver um plano é uma coisa, cumpri-lo é outra. Por isso, a revisão periódica do plano é muito importante, especialmente se houver mudanças na família ou na situação financeira. Mudanças na economia, tais como aumento ou queda das taxas de juros, e mudanças na legislação tributária também são motivos para uma revisão. Faça a revisão pelo menos uma vez por ano.

Você sabe lidar com dinheiro? Faça o teste!

Divida as tarefas em partes. Se alcançar algum de seus objetivos parece tão difícil quanto ganhar uma maratona, não desista.
Separe-os em partes gerenciáveis. Avalie cada passo e estime quanto tempo demorará para conquistá-lo. Por segurança, não subestime o tempo, comece pela parte mais fácil.
Faça da administração do seu dinheiro um hábito. Utilize algumas horas da semana para atualizar suas finanças (checar extrato, saldo, fazer pagamentos etc). O ideal seria meia hora por dia.
Estabelecendo uma rotina, você ampliará seu tempo e será mais fácil atualizar as tarefas financeiras que você deixa de lado.
Pagamento mensais. Para ganhar tempo, agende os pagamentos no sistema eletrônico do seu banco na última semana do mês. Assim, você não pagará juros por atrasos, nem por esquecimento.
Débito automático em sua conta corrente também é uma opção bastante prática.
Sem distrações. Não tente checar o canhoto do talão de cheques em frente à TV ou com o filho pequeno agarrado à barra da sua saia. Escolha um canto da casa que seja silencioso e bem iluminado.
Seja decidida. Analise bem os prós e os contras de um investimento, mas não infinitamente. "Pior que a má decisão é a indecisão". Não se preocupe com o perfeccionismo, "ele" toma tempo e dinheiro.
Lute contra o adiamento. Na Inglaterra há uma frase: "Um desses dias é nenhum desses dias". O momento para começar é agora.
Otimize seus investimentos. Possuir até cinco fundos de investimentos é um bom número. Invista em CDBs de longo prazo. Avalie a performance de seu portfólio pelo menos uma vez por ano, decidindo o que manter e o que vender. Alguns investimentos consomem mais tempo que outros. Há opções que requerem vigilância constante. Já a poupança não requer mais do que um minuto mensal de atenção.
Use o telefone sempre que possível. Se você passa boa parte do seu tempo no trânsito, investir num viva-voz vai economizar algum tempo. Aproveite para falar com o gerente do banco ou com seu consultor de investimentos; para fazer aplicações e resgates; manter contato com o zelador do seu apartamento ou mesmo com o seu escritório.
Você também pode fazer tarefas como pagamento de contas, verificação de saldo etc.
Use e abuse da tecnologia. Evite ir às agências, principalmente às segundas pela manhã, às sextas à tarde ou durante a hora do almoço. Use os caixas eletrônicos 24 horas (com todo cuidado, é claro) para depósitos, saques ou pagamentos.
Utilizar os serviços de pagamentos e agendamentos pela internet é uma excelente alternativa. Fazer investimentos como aplicar na caderneta de poupança, comprar cotas de fundos ou ações é muito mais fácil e rápido pela internet.
Equipamento. Para tarefas rotineiras, uma calculadora de bolso serve muito bem. Se você prefere mais sofisticação e tem habilidades com cálculos como calcular valor do dinheiro no tempo ou amortização de um empréstimo, invista numa calculadora financeira. Mas, com certeza, o melhor mesmo é controlar tudo no computador.
Mantenha-se informada. Consulte livros e materiais oferecidos pelas instituições ou disponiveis na Internet. Leia jornais e revistas, há sempre aqueles que você se identifica mais e, hoje, todos eles abordam finanças pessoais.
Contrate um profissional. Você não procura um médico quando está com dor? Não procura um arquiteto quando quer construir? Não procura um advogado quando tem questões a resolver? Então porque não contratar um consultor para pôr ordem nas suas finanças?

Um comentário:

  1. Oi Drika, tem um selinho pra vc no meu cantinho.
    Aproveita!

    Beijão.

    ResponderExcluir